sábado, maio 18, 2024
HomeCulturaEspetáculo “Miseri Coloni dá Voz ao Silêncio” estreia dia 11 de outubro,...

Espetáculo “Miseri Coloni dá Voz ao Silêncio” estreia dia 11 de outubro, no UCS Teatro

Quais foram os silêncios impostos e suas consequências para a nossa cultura e história?

Com mais de 40 anos de presença nos palcos, o grupo Miseri Coloni estreia o novo espetáculo “Miseri Coloni dá Voz ao Silêncio”,  no dia 11 de outubro, às 20h, no UCS Teatro, com entrada franca. Os ingressos podem ser acessados no link https://bit.ly/ingressosmiseri

A 11ª peça traz um marco histórico, os 150 anos da imigração italiana, que vai acontecer em 2025. Dentre os silêncios impostos neste período, a peça lembra os 100 anos do surgimento de Nanetto Pipetta no jornal “Staffetta Riograndense”, e a representatividade deste personagem para o fundamento da literatura do Talian. O público do espetáculo vai receber uma edição reeditada do jornal de 23 de janeiro de 1924, no qual consta o primeiro texto Vita e Storia de Nanetto Pipetta com a inclusão dos fatos históricos e das canções apresentadas na peça. O projeto tem financiamento do ProCultura da SEDAC – Secretaria de Estado da Cultura – RS, com verba conquistada via Edital nº 16/2021 a Arte do Espetáculo, do FAC – Fundo de Apoio à Cultura.

O texto: 

O dramaturgo Jorge Rein escreveu o texto da obra, focada no contexto dos anos 1920 e 1930, onde ocorreram as comemorações do Cinquentenário da Imigração Italiana, em meio a situações de conflitos e disputas políticas entre Ximangos e Maragatos no Rio Grande do Sul e a chegada ao poder do fascismo na Itália tendo o desfecho com a Segunda Guerra Mundial. E dentro disso os imigrantes italianos fazendo sua história, com marcas importantes que permanecem vivas até hoje. 

O diretor do espetáculo, Fábio Cuelli, explica que a montagem teatral reúne relatos pessoais dos integrantes do Miseri Coloni e a partir deles foi reconstruído  fatos históricos, como a partida da Itália rumo ao Brasil, a construção de uma nova vida e os atritos políticos nacionais e internacionais que afetaram os imigrantes italianos e seus descendentes em solo gaúcho durante os últimos quase 150 anos.

A dramaturgia cênica parte da memória pessoal de cada integrante e sua relação com os acontecimentos abordados no texto. Tais memórias compartilhadas trouxeram novas perspectivas para o que parecia perpetuar a cicatriz do sofrimento, trazendo à tona uma atitude de resistência contra os retrocessos políticos e sociais. Um fruto importante dessa resistência é o Talian, que na última década tornou-se uma língua reconhecida pelo IPHAN como referência cultural brasileira. 

O elenco: 

O espetáculo movimenta mais de 40 profissionais entre atores, atrizes, técnicos e prestadores de serviços. Além de atores e atrizes integrantes do Miseri em outros espetáculos, como Marco Antônio e Nádia de Carli, esta montagem conta com novos integrantes atores, atrizes, cantores e cantoras. 

A peça utiliza-se da poética do teatro documentário, com depoimentos reais, faz o uso de máscaras, sombras, canto, dança e projeção de vídeos e fotos, captados e editados por André Costantin e Daniel Herrera, que aprofundam o diálogo cênico entre a imagem projetada e o texto. O desenho de luz de Luiz Acosta concretiza a atmosfera sensorial de cada cena. Os figurinos de Magali Quadros possuem uma precisão histórica, realista e torna possível a experiência de transitar pelo tempo. 

A direção musical é realizada por Cibele Tedesco, dedicada em pesquisar as trilhas e fontes originais das composições, também conduz as vozes e sons de todo o espetáculo, com a excelência de alguém que possui a sensibilidade e a experiência artística necessárias para interromper o silêncio do qual nos referimos no título. 

A equipe conta com João Tonus em sua imensa dedicação à memória e pesquisa sobre a imigração italiana, que fundamenta e torna viável colocarmos não uma nova verdade sobre a história, mas um questionamento digno para projetarmos o futuro. Cleri Pelizza está como produtora e atriz, força motriz de todas as atividades da Associação Cultural Miseri Coloni.

 Associação Cultural Miseri Coloni

 Desde a sua origem na década de 80, tem o objetivo de salvaguardar e valorizar a cultura dos imigrantes italianos, principalmente no seu aspecto dialetal, o talian. Para tanto, se vale do teatro, do canto e de promoções culturais variadas, sempre buscando resgatar de forma autêntica as tradições dos imigrantes. Com este propósito, participa, com outras entidades, de movimentos e ações em prol do talian: é co-fundadora da Associazione Culturale Internazionale SORAIMAR, sediada na Itália, e integra o Ponto de Cultura Casa das Etnias, em Caxias do Sul, RS.

A sede do Miseri Coloni, abriga inúmeras atividades, servindo de local para ensaios, encontros, oficinas, integração e intercâmbio com outros artistas. É também ali que o grupo guarda sua história através de objetos, figurinos e todo tipo de material referente aos seus espetáculos e à cultura do imigrante italiano.

RELATED ARTICLES
- Advertisment -

Most Popular

Recent Comments