domingo, junho 23, 2024
HomeSustentabilidadeESG: por que as empresas precisam se atualizar sobre esse conceito? Clique...

ESG: por que as empresas precisam se atualizar sobre esse conceito? Clique e entenda tudo sobre essa sigla tão falada atualmente

Meio Ambiente, Social e Governança são pilares que tornam as organizações cada vez mais prósperas, saiba os motivos

Pense em como seria o mundo se o desempenho de uma empresa fosse avaliado não apenas pelo valor financeiro, mas também por seus benefícios às pessoas e ao planeta. Agora, será que isso é possível? O post de hoje é sobre isso! Tudo começa por um propósito e nós vamos explicar porque unir lucro e propósito, gerando consciência coletiva pode levar prosperidade às pessoas — mais um conceito pertencente ao movimento Capitalismo Consciente. Nas próximas linhas você vai entender tudo o que precisa saber sobre ESG. Vamos lá?

Leia também: Entenda o que são Empresas de Impacto Social e como fazem a diferença nas comunidades

Alguns nem imaginam, mas a sigla ESG nasceu no setor bancário como uma métrica de avaliação de risco de crédito, afinal, grandes bancos não queriam correr risco de emprestar dinheiro para empresas sujeitas a multas e outras penalidades por danos ambientais na década de 1990. ESG é a abreviação em inglês de Environmental, Social and Governance. Isto foi um divisor de águas, o assunto responsabilidade social e ambiental.

Em 2004, o Banco Mundial e a ONU reuniram 20 instituições financeiras de nove países, inclusive o Brasil, para encontrar maneiras de implementar a pauta de respeito ao meio ambiente e responsabilidade com a sociedade em todo o mercado global.

A intenção da ONU era fazer com que as organizações não focassem apenas em lucros para seus acionistas porque isso não fazia sentido se elas estivessem causando crimes ambientais ou explorando colaboradores, por exemplo. Nascia então uma forma de obter lucratividade sem comprometer o planeta em que vivemos!

Essa prática pode parecer distante de nossas vivências atuais, mas é responsável por iniciar o debate no mundo todo e, cada vez mais, atrai empresas que comungam deste propósito. Por exemplo: você sabia que a Bolsa de Valores no Brasil tem um índice dedicado a empresas que estão comprometidas com a sustentabilidade? É o Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE). O ISE avalia itens como:

  • Sustentabilidade corporativa;
  • Equilíbrio ambiental;
  • Justiça social;
  • Governança.

O ESG faz parte da estratégia de empresas comprometidas que adotam práticas conscientes. Estas empresas tendem a ter mais visibilidade e reputação positiva, o que acaba gerando mais resultado no médio e longo prazo.

Traduzindo ESG de uma forma mais prática, a letra ‘E’ da sigla se refere ao sustentável, relacionado ao meio ambiente. Nesse item, entram assuntos como embalagens plásticas, descarte do lixo e emissão de poluentes. A letra ‘S’ é sobre o cuidado com a comunidade, respeito aos direitos trabalhistas, atenção com a saúde e segurança dos colaboradores e apoio à diversidade, por exemplo. Já a letra ‘G’ pode ser lida pela ética e transparência na condução do negócio, além de práticas de compliance que combatem a corrupção, por exemplo.

O impacto do ESG e a ordem dos conceitos

O diretor executivo da cooperativa Sicredi Pioneira faz uma relação de fácil compreensão entre essas letras. Segundo Solon Stahl, o ‘G’, que representa a liderança, ‘é o fator limitante ou acelerador para uma Cultura Consciente’. É por isso que, para Stahl, a ordem dos fatores pode alterar sim o resultado – numa alusão à regra matemática. De acordo com o presidente, as maiores transformações das organizações nascem no topo da liderança.

“Mesmo que os colaboradores desejem e até peçam mudanças, as mesmas só acontecem se a alta gestão as quer e as patrocina. Ações e movimentos que visem atender o Social (S) e o Ambiental (E) precisam de recursos, desde financeiros, passando por materiais, pessoas e tempo. E na esmagadora maioria das organizações estes recursos são administrados e disponibilizados pela alta liderança”, considera Stahl.

Três empresas gaúchas são referência em ESG

Engana-se quem pensa que a preocupação com as pessoas e o planeta no mundo dos negócios esteja distante de nós. Para exemplificar o quanto a sustentabilidade e o compromisso social estão se tornando cada vez mais próximos, separamos três exemplos de empresas do Rio Grande do Sul amplamente conhecidas para entendermos melhor a importância de pensar ESG. Confira:

1. Gerdau

A Gerdau foi eleita em 2023 a melhor empresa do Brasil em ESG pelo Anuário Época Negócios 360º. Na página da empresa é possível conferir a seguinte frase que ilustra bem as características de empresas conectadas ao ecossistema do conceito: Só existimos se o planeta existir. De acordo com a Gerdau, a estratégia social implementada internamente é focada em três pilares:

  • Educação empreendedora;
  • Habitação;
  • Reciclagem.

Um dos programas instituídos pela empresa que mais chama a atenção é o Reforma Que Transforma. Lançado em 2020, este é o maior projeto social da história da Gerdau, segundo o site da própria organização. O Reforma Que Transforma pretende mudar o panorama da habitação de baixa renda no Brasil. O investimento de R$ 40 milhões foi efetuado para que mais de 13 mil residências vulneráveis fossem transformadas ao longo de 10 anos. Com a prática, mais de 50 mil pessoas em diversas comunidades e regiões onde a Gerdau atua são impactadas.

2. Randoncorp

No mesmo caminho, a Randoncorp já ganhou o prêmio promovido pela Revista Exame por suas práticas de ESG. Entre os compromissos públicos adotados pela empresa, estão:

  • Equidade de gênero – é uma meta da Randoncorp duplicar o número de mulheres em cargos de liderança até 2025. Para isso, a empresa trabalha com a conscientização sobre alinhar maternidade e carreira e possui uma iniciativa intitulada Programa de Mentoria Feminina para dar conta das transformações que a sociedade necessita.
  • Redução dos gases de efeito estufa – a diminuir em 40% a emissão dos gases de efeito estufa é tratada como um compromisso até 2030. Também em relação ao meio ambiente, o grupo pretende valorizar a construção de usinas fotovoltaicas.

3. Renner S.A.

Já as Lojas Renner, lançaram uma estratégia ESG chamada Moda Responsável que durou cinco anos com o objetivo de avançar na gestão de sustentabilidade por meio de compromissos públicos de minimizar os riscos socioambientais da cadeia produtiva. Depois disso, a Renner lançou um novo ciclo de sustentabilidade, com compromissos definidos até 2030.

A Renner S.A. é líder mundial entre as varejistas de moda no índice Dow Jones de Sustentabilidade. Esse índice é referência global para práticas sustentáveis. Em 2023, a Renner ficou em 3º lugar no varejo geral mundial entre 7,8 mil empresas avaliadas. Entre as iniciativas da loja, está o uso de inteligência de dados para reduzir as emissões de CO2.

Programa Comunitá e a startup ESG Now

Acelerar o cuidado ao mundo por meio da tecnologia. Este é o propósito com que a startup ESG Now entrou no mercado. Esta startup é uma investida do Sicredi por meio de seu programa de venture capital, o Comunitá. A ESG Now é uma plataforma que guia empresas de todos os portes e segmentos rumo ao compliance ambiental, social e de governança e ao alinhamento com as melhores práticas globais de sustentabilidade corporativa.

Além disso, a startup possui uma plataforma chamada ESG Learning que oferece conhecimento por meio de cursos sobre ESG aos interessados. O programa Comunitá, da cooperativa Sicredi, abraçou a proposta da ESG Now com aporte financeiro. Este é um dos meios utilizados pela cooperativa para contribuir com o crescimento dos associados e assim, com o desenvolvimento das comunidades. Ser cooperativa é também ser parte integrante de um ecossistema empreendedor que beneficia a todos!

Saiba qual é a terceira startup investida pelo programa Comunitá

E, então? Gostou de conhecer mais sobre ESG? Saiba também sobre Negócios conscientes, muito além de somente lucro! e não perca o próximo conteúdo do Blog Pioneira porque nós vamos tratar sobre Capitalismo Consciente. Até lá!

Fonte: https://sicredipioneira.com.br/blog/esg-por-que-as-empresas-precisam-se-atualizar-sobre-esse-conceito-clique-e-entenda-tudo-sobre-essa-sigla-tao-falada-atualmente

RELATED ARTICLES
- Advertisment -

Most Popular

Recent Comments