domingo, junho 23, 2024
HomeMeio AmbienteO compromisso ético e social dos data centers na sociedade conectada

O compromisso ético e social dos data centers na sociedade conectada

Em um mundo cada vez mais digital e conectado, os data centers desempenham um papel crucial na infraestrutura da tecnologia da informação – e grande parte das pessoas sequer conhece a sua importância. E à medida que a demanda por serviços digitais cresce, surge a necessidade de falarmos sobre questões éticas e de responsabilidade social associadas a esses ambientes. De acordo com pesquisa da Comscore, para se ter uma ideia, a população digital brasileira abrange cerca de 121 milhões de dispositivos móveis. Ou seja, trata-se de um tema de grande interesse público.

Quando há o comprometimento com a responsabilidade social, é fundamental que a organização apresente transparência com todos os stakeholders, isto é, indivíduos e grupos interessados ou afetados pelas suas atividades. Estamos falando de disponibilizar informações detalhadas sobre as práticas sustentáveis e iniciativas sociais em seus websites e redes. Também deve-se buscar participar de índices e rankings de ESG e obter reconhecimentos por meio de certificações e premiações.

Responsabilidade social envolve o meio ambiente

É cada vez mais evidente que os data centers são grandes consumidores de energia e, consequentemente, emissores de gases de efeito estufa na atmosfera. Embora haja empresas no setor que já estejam adotando medidas para reduzir drasticamente essas emissões, ainda há muito trabalho a ser feito em todo o mercado. Em vista disso, devo reiterar a relevância da adoção de práticas sustentáveis para minimizar o impacto ambiental das operações, que também reflete na comunidade.

A migração da energia tradicional – procedente também de combustíveis fósseis – para a energia proveniente totalmente de fontes renováveis é o cenário ideal. Mas, antes disso, organizações do setor precisam se atentar para a gestão responsável dos resíduos eletrônicos, por meio da reciclagem e o descarte ambientalmente adequado de equipamentos e periféricos obsoletos. Entre eles estão os materiais desgastados, como cabos e baterias, e materiais como papel, papelão e plásticos. Sempre que possível, deve-se reaproveitar o teor de matéria ou energia desses elementos, reinserindo-os na cadeia.

Além disso, uma alternativa para iniciar a jornada na sustentabilidade ambiental é participar de iniciativas que buscam combater, colaborativamente, os impactos ambientais e as mudanças climáticas. Desse modo, podemos mencionar o Acordo Climático iMasons (ICA) e a Science Based Targets Initiative (SBTi) – dois grandes exemplos de iniciativas abertas ao mercado que podem auxiliar a jornada sustentável de data centers. A primeira compartilha melhores práticas do setor e a segunda incentiva empresas a estabelecer metas de redução de emissões alinhadas com as descobertas científicas.

Uma dica valiosa que deixo para as empresas de data centers é focar na obtenção de certificações como a Zero Waste, que tem como principal objetivo desviar resíduos sólidos que iriam para aterros sanitários. Assim, a certificação incentiva práticas responsáveis a partir de redução, reutilização e reciclagem de resíduos gerados pelas operações de grandes estruturas como essas.

O impacto social dos data centers

Nós não podemos deixar de olhar para a comunidade em que esses centros de processamento e armazenamento de dados estão inseridos. Não se trata de dizer que a companhia se preocupa com o meio ambiente, mas também é importante mostrar como ela engaja com as pessoas impactadas de alguma forma – seja direta ou indiretamente. E mais do que afirmar, deve-se colocar em prática todas essas medidas e tê-las enraizadas na organização para que os resultados de fato aconteçam.

Entre as práticas de responsabilidade social, os data centers devem desempenhar um papel ativo no desenvolvimento social e econômico local, gerando empregos e promovendo a educação em tecnologia, bem como apoiando iniciativas comunitárias. Isso tudo pode ser feito por meio de parcerias com organizações regionais, programas de treinamento e capacitação profissional e doações para projetos sociais.

Já em relação às práticas corporativas, essas organizações devem estar engajadas na adoção de políticas de diversidade e inclusão, respeitando os direitos humanos e contribuindo para o desenvolvimento sustentável. Além de contribuir socialmente de forma efetiva, essas ações fortalecem a reputação da empresa e demonstram um compromisso real com o bem-estar da sociedade.

Em geral, ética e responsabilidade social são pilares indispensáveis para o funcionamento adequado e sustentável dos data centers. Esses ambientes têm um grande impacto tanto no meio ambiente como na comunidade e na sociedade em geral. Por isso, ao assumir essas responsabilidades, eles reforçam a sua posição como agentes positivos e prudentes na construção de um futuro sustentável. E as práticas mencionadas são maneiras de demonstrar esse compromisso e fortalecer a confiança dos stakeholders.

*Carolina Maestri é diretora de ESG & EHS da ODATA.

Sobre a ODATA, uma empresa da Aligned Data Centers

A ODATA, uma empresa da Aligned Data Centers, é uma provedora de data center, que fornece infraestrutura de TI escalável, confiável e flexível nas Américas. A empresa atende às crescentes demandas por energia, espaço e confiabilidade de organizações de vários setores, oferecendo soluções de data center inovadoras e eficientes, desde colocation gerenciado até projetos built-to-suit. Para mais informações, visite https://odatacolocation.com/.

Informações para a imprensa:

Sing Comunicação

Gustavo Fritz, Carolina Garcia, Janaína Leme e Vânia Gracio.

odata@singcomunica.com.br

RELATED ARTICLES
- Advertisment -

Most Popular

Recent Comments