sábado, junho 22, 2024
HomeSegmentoIndústriaEnvase Brasil apresentará respostas do setor de alimentos aos desafios das mudanças...

Envase Brasil apresentará respostas do setor de alimentos aos desafios das mudanças climáticas

Programação ocorre de 23 a 25 de abril no Parque de Eventos de Bento Gonçalves

Foram dez meses de transformação nos processos e principalmente de entendimento entre todos na equipe da Vinícola Courmayer, de Garibaldi, até que no começo deste ano, a empresa chegou à fase final para a obtenção da certificação FSSC 22000, a mais importante no mundo da indústria alimentícia. Um processo pelo qual a Cooperativa Vinícola Aurora, de Bento Gonçalves, desbravou dez anos atrás e garantiu a abertura de mercados hoje considerados fundamentais para o vinho gaúcho. Os exemplos das vinícolas, de todos os portes, que buscam a qualificação e o reconhecimento internacional das suas produções em um cenário cada vez mais exigente nos setores de bebidas e alimentos será um dos pontos altos da 15ª Envase Brasil, que acontece entre os dias 23 e 25 de abril, no Centro de Eventos do CIC Bento Gonçalves.
 

As duas vinícolas serão cases apresentados durante a 5ª Conferência de Segurança de Alimentos e Bebidas, um dos eventos que compõem a programação da Envase, a partir de 23 de abril. “Este processo de certificação foi gradativo nas nossas unidades, iniciado ainda em 2009 e encarado desde então, não apenas como uma norma, mas com engajamento de todas as pessoas envolvidas em todos os níveis de hierarquia de uma empresa. A abertura de mercados, claro, é uma consequência desse processo. O importante é que ajudou a nos mantermos sempre vigilantes à rastreabilidade do nosso produto e à garantia de que estamos livres de qualquer contaminação ou problemas na prática de fabricação. No final, é uma garantia ao consumidor”, explica a supervisora de Qualidade e Meio Ambiente da Vinícola Aurora, Cassandra Marcon.
 

Ela será uma das palestrantes neste seminário, e terá ao seu lado a gerente de qualidade da Courmayer, Talita Verzeletti, que comandou mais recentemente o mesmo processo na vinícola de Garibaldi. “Nosso maior desafio neste processo foi mobilizarmos toda a equipe para que todos compreendessem a importância da certificação como um avanço individual e coletivo. Foram justamente a comunicação e o alinhamento da equipe que garantiram a evolução. É essa experiência que queremos compartilhar com outras indústrias do setor”.
 

O seminário terá a curadoria da consultora e auditora de gestão de sistemas de qualidade e segurança de alimentos, Sílvia Berenguer. Ela comandará a mesa, com a abertura do encontro e um bate papo com os palestrantes. Nesta edição, com alguns desafios extras ao setor. Segundo Sílvia, foi-se o tempo em que bastava se preocupar com a opinião dos consumidores, clientes e com a imagem de uma empresa na mídia. “É muito raro que os próprios donos das empresas relatem e detalhem as suas experiências de gestão para transformarem os processos. É um estímulo, que serve sempre como inspiração a outros empresários do setor. Isso é o que sempre trazemos para os expositores e visitantes da feira durante a conferência “, explica ela.
 

Segundo Sílvia, a transformação experimentada entre as vinícolas tende a se multiplicar em todos os níveis da cadeia produtiva de alimentos e bebidas. “No mundo pós-pandemia, o setor de segurança de alimentos está sendo desafiado pelas mudanças climáticas. Há estimativas de que até 30% das cadeias de produção alimentares serão, de alguma forma afetadas. Onde não existia perigo, vai ter. Então, garantir uma gestão eficiente e comprometida para responder aos desafios já não tem a ver com cumprir um cronograma que está no papel. Agora, a gestão depende diretamente de quem tem competência para encarar a crise”, aponta a especialista.
 

Entre os convidados deste debate haverá ainda Juliane Arimura, representante na América Latina da Food Service System Certification (FSSC), que norteia a certificação conquistada pela Courmayer e a Aurora e, como reforça Sílvia Berenguer, é o sistema que hoje mapeia, por exemplo, as compras de alimentos pelas principais multinacionais varejistas em todo o mundo.
 

E o Brasil tem ferramentas que podem auxiliar as empresas do setor a atingirem a qualificação na gestão. É da ABNT a única norma que uniformiza práticas ESG no mundo, com vistas a certificações. É este processo que o diretor de certificação da ABNT, Antônio Carlos de Oliveira, vai detalhar na sua palestra durante a conferência. “Envolve um tripé de ações concretas nas áreas ambiental, social e de governança. Não existia um padrão e nem mesmo um entendimento mais uniforme sobre práticas ESG, então a ABNT criou uma comissão com especialistas de diversos setores, que resultou na PR-2030. Alinha os principais conceitos com um modelo de avaliação, possível de geração de programas de certificação. É o que pode nortear, por exemplo, instituições financeiras e as próprias empresas no momento de investir em projetos ou outras empresas menores, sem correr riscos de descumprir seus compromissos com a comunidade”, explica.
 

A Envase Brasil tem suas raízes na cadeia vitivinícola, avançou para o setor de bebidas e, posteriormente, a todo setor alimentício de produtos envasados. É hoje a maior feira do Brasil no setor de bebidas e, por ser realizada no Rio Grande do Sul, tem alta relevância entre os países vizinhos do Mercosul.

Serviço

O quê: 15ª Envase Brasil – Feira de tecnologia, embalagens e processos para a indústria de bebidas e alimentos

Quando: de 23 a 25 de abril, das 14h às 20h

Onde: Parque de Eventos de Bento Gonçalves (RS) – (Alameda Fenavinho, 481)

Quanto: credenciamento gratuito pelo site envasebrasil܂com܂br

RELATED ARTICLES
- Advertisment -

Most Popular

Recent Comments