segunda-feira, abril 15, 2024
HomeSegmentoIndústriaNova Aliança monta megaoperação para colheita da uva

Nova Aliança monta megaoperação para colheita da uva

Cooperativa deve processar 35 milhões de quilos de uvas de 700 cooperados e de vinhedos próprios em Santana do Livramento, movimentando mais de 1.500 pessoas

A Cooperativa Nova Aliança, com unidades em Flores da Cunha, Farroupilha e Santana do Livramento, está preparada para a Safra 2024. Os primeiros cachos de uva foram colhidos no dia 4 de janeiro. Com uma quebra de 30% em razão das constantes e intensas chuvas, a vinícola deverá processar este ano 35 milhões de quilos de uva, sendo 99% de cooperados da Serra Gaúcha e 1% de vinhedos próprios na Campanha Gaúcha. Com um portfólio atual de 127 rótulos, entre espumantes, vinhos finos e de mesa, suco de uva, frisantes, filtrados e quentão, a marca está presente na mesa de consumidores do Oiapoque ao Chuí. Consolidada no mercado do suco de uva, a cooperativa avança no setor de vinhos finos e espumantes.

A megaoperação vai envolver diretamente 250 funcionários efetivos – 150 deles na indústria – e cerca de 1.300 de cooperados. Além disso, a Nova Aliança também contrata mão-de-obra (CLT) para o período da vindima – janeiro a março. Este ano, são 15, a maioria deles há cerca de 5 anos. Os que vêm de outras cidades gaúchas ficam no alojamento privado, em Farroupilha, construído pela própria cooperativa há cerca de 10 anos, justamente para acomodar os trabalhadores. São quartos para, no máximo, quatro pessoas, equipados com ar condicionado. A estrutura conta, ainda, com amplo banheiro, máquina de lavar roupa, cozinha com refeitório, também climatizada, além de cozinheira contratada especialmente para fazer as refeições – são cinco refeições por dia – e equipe de limpeza.  Serviço de transfer também é disponibilizado para os que desejam se deslocar em horários de descanso. Os que moram na cidade não permanecem no alojamento. Esta prática é comum na cooperativa desde sempre, e a cada safra novos investimentos vêm sendo feitos em melhorias para qualificar a jornada dos trabalhadores. O presidente da Cooperativa Nova Aliança, cooperado Sidimar Fleck, destaca que os preparativos para esta safra seguem a mesma rotina. “Sempre atuamos desta maneira e assim construímos uma história de cooperativismo focada no social, no bem estar e nas relações”, ressalta.

Fachada Matriz – Flores da Cunha Fotos: Divulgação Nova Aliança

É na matriz, em Flores da Cunha, que a Nova Aliança elabora todos os seus rótulos. Segundo o Diretor Superintendente, Heleno Facchin, o foco da recém empossada nova diretoria é reposicionar a vinícola no mercado. “Estamos conduzindo nossa primeira safra. Estamos com novo enólogo, nova política, nova energia, tudo para viver este novo momento”, enfatiza. Para garantir esta caminhada em busca do reposicionamento das marcas, a vinícola conta com a expertise do enólogo André Gasperin, ex-presidente da Associação Brasileira de Enologia (ABE) eleito Personalidade do Vinho Destaque 2023 pela ABS-RS.

Um pouco de história

A Cooperativa Nova Aliança (2010), hoje com 700 famílias cooperadas, surgiu da união de cinco cooperativas vitivinícolas da Serra Gaúcha: Cooperativa Aliança (1931) e Cooperativa São Victor (1929), de Caxias do Sul; Cooperativa São Pedro (1930) e Cooperativa Santo Antônio, de Flores da Cunha, e Cooperativa Linha Jacinto (1931), de Farroupilha. Juntas, elas se transformaram em uma única família, reunindo pessoas, valores e histórias de trabalho e superação enraizadas em gerações de descendentes de italianos. Toda uva processada anualmente vem dos cooperados com propriedades em cidades da Serra Gaúcha, Serra do Sudeste e Campanha Gaúcha, além dos vinhedos próprios cultivados em Santana do Livramento onde, numa área de 400 hectares, a vinícola mantém 50 hectares de vinhas vitis viníferas. Assim, o portfólio de 127 rótulos entre espumantes, vinhos finos e de mesa, suco de uva, frisante, filtrado e quentão, expressam o terroir de quatro distintas regiões gaúchas. Com uma das maiores e mais modernas plantas industriais de suco de uva da América Latina, a matriz em Flores da Cunha possui capacidade para processar até 60 milhões de quilos de uva por ano. O projeto, assinado pela arquiteta especialista em projetos vitivinícolas, Vanja Hertcert, tem 24.000 metros quadrados.

RELATED ARTICLES
- Advertisment -

Most Popular

Recent Comments